As tecnologias que ajudam as universidades a melhorar a matrícula

12, mar, 2017

Isabel
BY: Isabel

“Mais de 80% dos estudantes que navegam em nosso site o fazem usando um tablet ou um smartphone. Não queremos perder alguém por não poder navegar rapidamente pelo site para obter mais informações”.

Assim é, como Christopher Wright, Diretor de Tecnologia de Matrícula da Emerson College explica, porque é tão importante a tecnologia para a gestão das matrículas, um fator chave para a atual gestão da educação superior.

Wright disse que “a maior mudança nas matrículas e o compromisso da comunidade é a intenção de personalizar o contato online”. Segundo Ed Tech Time, “se busca a implementação de um sofisticado sistema CRM (Customer Relationship Management) para que quando os estudantes realizem qualquer ação no site, o sistema armazene os dados necessários para logo informar o setor de admissão. ‘A plataforma tecnológica tem que ser suficientemente dinâmica para entender quem está em contato e quais ações devem ser tomadas para assegurar que se tenha entregado a mensagem correta, no momento correto, de maneira permanente’, diz Wright”.

Ademais, a consultora Hanover Research explica que, segundo uma reportagem da Lawlor Group, a admissão e matrícula atualmente estão determinados por 10 tendências – que também podem ser importantes para a experiência do estudante – e que as instituições deveriam considerar em seu planejamento estratégico: 

- Problemas financeiros. “Os custos mensais de uma universidade são constantemente elevados, apesar das ajudas financeiras”.

- Extremo cuidado com os gastos. “Cada vez mais famílias estão reavaliando p preço que estão dispostos a pagar por uma educação universitária”. As pessoas estão começando a considerar o retorno como um fator chave na hora de ‘contratar’ a uma instituição de educação superior para obter educação e um título.

- Percepção pública. “Todavia uma grande maioria do público acredita que uma educação universitária é necessária para evoluir (na vida), uma distinção de valores tem aparecido na opinião pública devido a que poucas pessoas creem que cursando uma carreira universitária, a qualquer preço, valerá a pena em relação ao esforço financeiro empregado”.   

- Necessidade de um ROI. “As famílias estão buscando evidências de resultados exitosos que justifiquem o investimento em uma instituição de educação superior (...). Esperam resultados destas instituições, como níveis aceitáveis de salário de seus egressos”. 

- Demografia diferente. Os estudantes universitários estão mudando em termos demográficos. Cada vez mais os estudantes mais jovens estão na universidade e se convertendo em parte importante da educação.

- Mais velho, mais sábio. “O estudantes não tradicionais tem mais possibilidades de abandonar seus estudos no primeiro ano da universidade, por necessitarem de horários convenientes, assistência financeira, tutoramentos e serviços de orientação estudantil, além de centros para veteranos”. 

- Transferências. “Cada vez mais estudantes estão pesquisando várias instituições em sua procura por um grau acadêmico. Os estudantes estão tomando consciência do custo associado às transferências quando planejam em longo prazo concluir uma carreira dentro de suas possibilidades de pagamento”. 

- Estudantes comprometidos. “O crescimento do acesso online e do uso das redes sociais estão permitindo que as pessoas acompanhem instantaneamente qualquer noticia sobre a universidade (...). Sendo cada vez mais fácil investigar a reputação de uma instituição através da Internet, de recomendações pessoais e outros canais de comunicação que fogem do controle direto da organização”. 

- Dados focados. “O amplo uso da análise de dados em outras indústrias está motivando os estudantes a exigirem comunicações personalizadas e relevantes”. 

- MOOC (Cursos online massivos e abertos ao público) e educação online. “Todos os tipos de cursos híbridos estão em alta, entretanto o que mercado busca são propostas de fácil acesso e interessantes”.

Agora, considerando estas grandes tendências, vejamos como a tecnologia pode ajudar as universidades a melhorar suas estratégias de admissão e matrícula. Segundo o especialista Stuart Banbery, gerente de marketing da Social Signin, as instituições de educação superior estão priorizando as seguintes tendências:

Redes sociais

“Os especialistas em marketing na educação superior enfrentam uma enorme quantidade de aplicativos, plataformas e canais, os quais fazem que a pesquisa e a seleção sejam chaves. Todos conhecem Twitter e Facebook, assim que perceberam a grande utilização do Snapchat (...). Os especialistas en marketing necessitaram incluir Snapchat como parte de suas campanhas integradas a multicanais em suas prospecções, postando conteúdos, como datas importantes do calendário da universidade”.

Atualmente, as universidades estão usando estas plataformas não para vender, mas mostrar histórias que consigam engajar os estudantes. “O uso do storytelling (contar histórias) foi tendência no marketing em 2015 e 2016 e continuará em 2017. Mas esta prática não se limitará somente para falar dos estudantes. As histórias tem o poder de dar vida e humanizar os profissionais acadêmicos, os alunos, os setores de atendimento ao cliente e os reitores”, explica Banbery.  

“Os especialistas em marketing – agrega o especialista – agora entendem que as imagens muito elaboradas e uma linguagem rebuscada não necessariamente tem alcance entre os estudantes que se busca prospectar. Conectar-se a eles em um nível mais pessoal, usando humor, criatividade e originalidade é muito mais efetivo”. 

A Internet das Coisas

“Os aplicativos e a Internet das Coisas possuem o poder de engajamento nos estudantes, impulsionam uma marca e divulgam história de maneira única. Os aplicativos também podem coletar dados acerca das preferências dos estudantes e seus comportamentos, sendo ainda muito mais fáceis de acessar que um site em celulares (...). Potencialmente, os avisos publicitários tem a capacidade de identificar as pessoas baseados em cada um de seus movimentos. Os dados de marketing na educação superior estão mais focados no comportamento e nas preferências, de tal maneira que modificaram o panorama atual do marketing local, eliminando os limites entre o marketing online e o real”. 

Automatização avançada

Como administrar toda a informação que é gerada em um processo de admissão, em cada faculdade, em cada campus?  “Agora que os especialistas em marketing na educação superior estão dedicando muito mais tempo a criação de conteúdo, os mais capazes entre eles estão investindo em software de automatização para facilitar a gestão de e-mails, lançar campanhas em dia, administrar a segmentação de dados CRM, posts e respostas em redes sociais, ou rastrear e relatar os requerimentos e conversações dos estudantes”.

Banbery diz que “mediante a identificação das ferramentas de software corretas, que se complementam com o atual ambiente da universidade, são capazes de se unir aos sistemas existentes, junto com as equipes, promovendo consultoria, desenvolvimento e capacitação, onde seu departamento manterá eficiência, efetividade e foco, sem comprometer a qualidade da experiência estudantil”.

Quais ferramentas tecnológicas utilizaria sua instituição de ensino superior para melhorar os processos de admissão e de matrícula? O convidamos a compartilhar sua experiência. 

Acerca del Autor

Isabel possui o título de Bachelor of Arts (B.A.) em Marketing e Vendas pela Universidade FOM Hochschule für Ökonomieund Management (Faculdade de Ciências Econômicas e Empresariais). Tem mais de 10 anos de experiência em Marketing, trabalhou em vários países europeus para empresas internacionais e fala quatro idiomas.

Deja un Comentario

Post relacionados

12, mar, 2019

Data Science em universidades: U-Planner fala no congresso matemático

Na oportunidade, Sebastián Flores mostrou como a análise dos grandes dados pode ajudar a melhorar a gestão em universidades.